Aos pés do Senhor

Os nomes de Maria, Marta e Lázaro são normalmente citados quando o assunto é hospitalidade e comunhão. E não é por menos. Estes três irmãos dispensaram tempo e recursos para hospedar o Senhor Jesus e Seus discípulos quando passavam por Betânia.

Não se pode afirmar com certeza quantas vezes o Senhor Se hospedou no lar daqueles três irmãos, mas é muito possível que na última semana antes da crucificação Ele tenha Se abrigado pelo menos uma vez naquele lar (Mt 21:17). Apenas três vezes, porém, o Espírito Santo quis registrar o que aconteceu nestas visitas. E uma consideração destes três registros, mostrará preocupações diferentes desses três irmãos.

Lázaro é mencionado em duas das ocasiões. Numa delas ele esteve morto e foi ressuscitado (Jo 11). Na outra, estava assentado à mesa junto com o Senhor Jesus (Jo 12:2). Apesar de nunca ter sido registrada nenhuma palavra que ele tenha dito, sua utilidade para Cristo é mostrada no fato de muitos terem crido por causa dele (Jo 12:9-11).

Marta é mencionada nas três ocasiões. Na primeira e na última estava servindo (Lc 10: 40; Jo 12:2). A palavra servir (diakoneõ), usada nestas ocasiões, é a mesma palavra que descreve o serviço material e espiritual dos servos de Deus (At 6:1, 4). Não há nada nesta palavra que diminua o valor do serviço prestado por Marta. O serviço dela terá sua recompensa no Tribunal de Cristo.

Maria também é mencionada nas três ocasiões. É sobre ela que este artigo pretende ocupar maior espaço. Nas três ocasiões, Maria estava fazendo alguma coisa em relação ao pés do Senhor. Vejamos as referências e o que podemos aprender das atitudes desta serva de Deus.

Aprendendo das Suas Palavras – Lc 10:38-42

Aqui em Lucas 10 provavelmente foi a primeira vez que o Senhor Jesus visitou o lar dos três irmãos em Betânia. Nesta visita, Maria foi atraída aos ensinos do Salvador. Ela não se contentou em apenas vê-Lo e ouvi-Lo de longe. Ela assentou-se aos Seus pés (v. 39). Estando tão perto de Cristo, Maria nos ensina três coisas sobre seu aprendizado.

  1. i)Atencioso. Maria “ouvia a Sua palavra” (v. 39). Seus ouvidos estavam atentos a cada ensino, exemplo e aplicação que o Senhor citava. Ela não ouvia apenas por educação, para não deixar o visitante falando sozinho. Ela ouvia porque entendia a importância daquelas palavras. Como o próprio exemplo do Senhor Jesus, a respeito de Maria podia-se dizer: “Ele desperta-me todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que ouça, como aqueles que aprendem. O Senhor Deus me abriu os ouvidos, e eu não fui rebelde; não me retirei para trás” (Is 50:4, 5).

O começo do versículo seguinte apresenta fatalmente um contraste: “Marta, porém, andava distraída em muitos serviços” (v. 40). A palavra “distraída” é realmente um oposto de “ouvia”. Não se pode criticar Marta por sua atenção aos serviços, mas seu exemplo mostra que mesmo um serviço para Deus pode tornar-se perigoso quando nos toma o tempo devido ao estudo da Palavra de Deus. Antes de sair para servir, convém parar para ouvir.

  1. ii)Antecipado. Sem dúvida o Senhor e Seus discípulos participariam de alguma refeição naquele lar. Alimentação é uma das necessidades mais básicas de alguém que está viajando. Além disso, preparar a mesa para Ele era um investimento que aqueles três irmãos faziam com prazer (Jo 12:2).

Maria, porém, priorizou a Palavra de Deus. Antes de sentar-se para oferecer algum alimento ao Senhor, ela desejou ser alimentada por Ele. Ela não era egoísta, pensando primeiro em receber e depois dar. Ela era espiritual, pensando primeiro nas coisas eternas, depois nas que perecem. Neste aspecto, ela também mostrou sua semelhança ao Senhor Jesus, embora numa escala menor. Em João 4:8, 31-34 os discípulos saíram para comprar alimento e, quando voltaram, rogaram ao Senhor que comesse. Ele, porém, lhes ensinou que Sua comida era “fazer a vontade dAquele que Me enviou e realizar a Sua obra”. Para o Senhor, a vontade e a obra de Deus vinham antes da alimentação.

Há muitas coisas básicas e necessárias para nossa sobrevivência neste mundo, mas nunca devem vir antes ou estar acima das coisas espirituais. Fazer isso não quer dizer que vamos abandonar nossas responsabilidades profissionais. Quer dizer que vamos dar às nossas responsabilidades espirituais seu devido lugar.

iii) Aprovado. As últimas palavras registradas nesta primeira visita são verdadeiros galardões: “Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada”. O Senhor aprovou a atitude de Maria ao sentar-se a Seus pés para ouvir Suas palavras. Esta é uma atitude que trás prazer ao coração do Salvador.

Mas a “boa parte” não veio sem preço. Ela precisou escolher. Sentar-se aos pés do Senhor não era a única opção, e nem a mais bem vista pelos outros. Ela foi criticada por sua atitude. Mas, como é exemplar seu silêncio! Ela não disse nada em defesa própria. Foi o Senhor quem a defendeu.

 

Como um filho que se assenta para ouvir as palavras do pai (Pv 4:3, 4), Deus quer que Seus filhos ouçam as Suas. Se queremos servir a Deus, precisamos, primeiro, saber o que Ele tem a dizer.

(Artigo publicado originalmente na revista “O Caminho, nº 60”. Continuará, se o Senhor permitir)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *