A lição do silêncio

Poucas coisas na vida nos obrigam tanto a ficar em silêncio quanto nas situações em que estamos errados. O ladrão que é flagrado pelo dono no exato momento do furto, fica com medo e em silêncio. O aluno que é flagrado pelo professor no exato momento da cola, fica sem reação e em silêncio. O mentiroso que está contando uma mentira sobre alguém e a pessoa chega na hora, fica envergonhado e em silêncio.

Por outro lado, poucas coisas na vida nos obrigam tanto a falar quanto nas situações em que estamos com a razão. Se alguém muda de faixa no trânsito sem dar setas, nos “fecha” e quase provoca uma colisão, o que fazemos? Se faz duas horas que estamos na fila do caixa do banco e alguém que acabou de chegar é atendido na nossa frente, o que fazemos? Se alguém nos acusa de fazer algo que não fizemos, como reagimos?

Como em tudo na vida, o Senhor Jesus nos ensina uma lição impressionante através do Seu silêncio. Houve ocasiões quando todos esperavam que Ele disse alguma coisa, mas Ele não disse nada.

 

  • Diante do sumo sacerdote – Muitas testemunhas falsas foram levadas diante do Salvador, e apresentaram diversas acusações infundadas (Mt 26:59-61). Perdendo a paciência, o sumo sacerdote Lhe perguntou: “Não respondes coisa alguma ao que estes depõem contra ti?” A resposta do Senhor? “Jesus, porém, guardava silêncio” (vs. 62-63).

 

  • Diante dos sacerdotes e anciãos – Estes homens fizeram muitas acusações contra o Senhor (Mt 27:12). Lucas nos revela quais eram as suas acusações. Eles diziam que Ele pervertia a nação, proibia dar o tributo a César, dizia que ele mesmo era rei e que ele alvoroçava o povo (Lc 23:2, 5). E a resposta do Senhor? “Nada respondeu”.

 

  • Diante de Pilatos – Pilatos estava impressionando com aquele Homem. Provavelmente era a primeira vez que alguém era levado e acusado diante dele e não tentava apresentava sua inocência. Por causa disto, Pilatos perguntou: “Não ouves quanto testificam contra ti?” E a resposta dEle? “Nem uma palavra lhe respondeu” (Mt 27:13-14).

 

  • Diante de Herodes – Herodes tinha ouvido muito a respeito do Senhor Jesus, e deseja muito poder encontra-Lo. Quando teve a oportunidade, ficou muito entusiasmado, imaginando que veria o Senhor fazer algum milagre. Aproveitando-se da oportunidade, fez muitas perguntas para o Senhor. A resposta do Senhor a todas as perguntas? “Ele nada lhe respondia” (Lc 23:8-9).

Diante de todas estas pessoas, e enfrentando todas estas situações, o Senhor Jesus ficou em silêncio. Não é que Ele não tivesse nada para dizer. Pelo contrário, Ele era tão sábio que podia responder a qualquer pergunta (Mt 22:15-22), silenciar a qualquer pessoa (Mt 22:34, 46), e causar admiração a todos que o ouvissem falar (Jo 7:46). Mas, por que, então, Ele ficou em silêncio enquanto o acusavam de coisas que Ele não fez?

O apóstolo Pedro, que esteve presente na maioria dos eventos mencionados acima, nos dá a resposta: “Quando O injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-Se Aquele que julga justamente” (I Pe 2:23). O Senhor Jesus sabia que toda aquela acusação era infundada e injusta, e poderia muito bem ter reclamado seus direitos. Mas Ele preferiu deixar as coisas nas mãos de Deus. Ele sabia que ninguém julgaria o caso de um inocente tão justamente quanto Aquele que “julga o justo” (Sl 7:11 – AFC).

Para todos nós, a coisa mais difícil a se fazer, numa situação em que somos acusados injustamente, é ficar em silêncio. Mas este é, exatamente, o exemplo que o Salvador deixou para nós. não seja o seu próprio juiz numa situação injusta. Entregue-se “Aquele que julga justamente”.

Numa acusação injusta, o silêncio é o argumento dos inocentes. Esta é a lição do silêncio!

2 comentários em “A lição do silêncio

  • 26/08/2018 em 12:53
    Permalink

    Maravilhoso texto meu querido irmão.
    Como somos levados a estar prontos a reclamar, discutir e até brigar, quando as coisas não estão favoráveis a nós. O nosso MESTRE é fantástico para nos ensinar.
    Deus o abençoe seu ministério.
    Abraços: Itadeu Soares
    Casa de Oração – Cel. Fabriciano- MG

    Resposta
  • 28/08/2018 em 16:19
    Permalink

    Irmão Itadeu Soares, concordo com você. Há em todos nós uma tendência a “exigir nossos direitos” quando estamos com a razão. Mas os exemplos do Senhor Jesus, de fato, nos ensina muito sem palavra alguma. Muito das brigas e discussões nos nossos relacionamentos seriam completamente diferentes se, à exemplo do Mestre, deixássemos as coisas nas mãos de Deus.

    Peço a gentileza de enviar meu abraço aos irmãos em Coronel Fabriciano (morei 6 anos em Minas, servindo ao Senhor, antes de vir para São Paulo).

    Grande abraço deste seu irmão em Cristo!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *